Detalhes do projeto SGP 997

Página Inicial / Busca de Projetos / Detalhes do projeto

Tratamentos associados ao protocolo Ovsynch para superar o anestro sazonal de búfalas leiteiras.

Coordenador(a): NELCIO ANTONIO TONIZZA DE CARVALHO

Vigência do projeto

01/01/2016 até 28/04/2021

Unidade responsável

IZ, Centros de Genética e Reprodução Animal

Área Estratégica

reprodução animal

Linha de Pesquisa

Recursos e Melhoramento genético animal

 

A sazonalidade reprodutiva em bubalinos é caracterizada por alterações comportamentais, endócrinas e reprodutivas que ocorrem em períodos distintos do ano. Durante a estação reprodutiva desfavorável, a prevalência de dias mais longos suprime o comportamento estral e a ovulação, limitando a eficiência reprodutiva, especialmente em relação aos programas de inseminação artificial. Para superar o anestro sazonal de búfalas leiteiras, o projeto proposto consiste de dois experimentos. No primeiro exp., serão utilizadas 27 fêmeas bubalinas distribuídas em um de três grupos (GC, GM e GP4). Nas búfalas do GM serão inseridos implantes de melatonina no D -20. No D0, as fêmeas de todos os grupos receberão a administração intramuscular (im) de GnRH e, além disso, nas búfalas do GP4, será inserido um dispositivo intravaginal de P4, que permanecerá por 7 dias. No D7, todas as fêmeas receberão uma dose im de PGF2α. Dois dias após, mais uma aplicação de GnRH será efetuada em todos os animais. Serão realizadas avaliações ultrassonográficas para verificar a presença de CL, de folículos ≥ 8mm (FL), para mensurar o diâmetro (ø) do FL, para aferir a taxa de ovulação ao 1º GnRH e ao final do protocolo e também para avaliar o ø e a % de CL. No exp. 2, 225 búfalas serão submetidas aos mesmos tratamentos descritos no exp. 1, com as seguintes diferenças: 16h após o 2º GnRH, todas as fêmeas serão inseminadas. No D20, as búfalas serão submetidas à monta natural, para a cobertura no retorno ao estro. Serão realizadas também avaliações ultrassonográficas para verificar a presença de CL, de FL, para mensurar o ø do FL, para aferir as taxas de ovulação ao 1o GnRH e ao final do protocolo, para avaliar o ø e a % de CL, para o diagnóstico de gestação e para quantificar as perdas gestacionais e a taxa de prenhez por monta natural. Espera-se que tanto os dispositivos intravaginais de P4 quanto os implantes subcutâneos de melatonina quando associados ao protocolo Ovsynch, possibilitem o reestabelecimento da atividade cíclica ovariana, com satisfatórias taxas de ovulação e de prenhez à IATF e à monta natural, possibilitando a desestacionalização dos partos.

  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930