Projetos APTA no Departamento de Descentralização do Desenvolvimento, Polo Regional Vale do Paraíba

Página Inicial / Busca de Projetos

18 projetos ativos encontrados - pág. 1 de 1

Avaliações sanitárias em Pangasius hypotalamus criados em tanque rede dentro de tanque escavado no município de Pindamonhangaba/SP

n° SGP 1887

O cultivo intensivo de peixes no Brasil e no mundo é uma realidade promissora com o aumento do consumo de proteína de origem animal de qualidade. A intensificação do cultivo e o aprimoramento das técnicas surgem problemas sanitários. A proteína é o nutriente de maior custo na ração de peixes, portanto é necessário conhecer a concentração proteica ideal para cada espécie e a situação de criação, com o objetivo de obter bom desempenho zootécnico, minimizar o custo, bem como, a descarga de nitrogênio no ambiente de criação. Muitos são os fatores influenciam a exigência em proteína dos peixes, entre eles a temperatura da água, qualidade da proteína, tamanho do peixe etc. Na literatura não se encontram coeficientes técnicos e determinação de teor proteico ideal para a criação do Pangasius no Brasil, e densidade de estocagem ideais. O objetivo geral deste trabalho é verificar o manejo alimentar do panga, a densidade de estocagem ideal, e como objetivos específicos fazer uma anamese completa nos peixes a procura de efusões lesões na pele, brânquias e órgãos como fígado, rins, baço e cavidade abdominal, bem como realizar avaliações sanitárias nos animais.

Ver detalhes do projeto

  Sergio Henrique Canello Schalch      Apta Regional / IP

ANÁLISE DO DESEMPENHO PRODUTIVO DE DUAS LINHAGENS DE LAMBARIS DO GÊNERO AstyanaxBAIRD& GIRARD, 1854 (TELEOSTEI: CHARACIFORMES: CHARACIDAE)

n° SGP 1886

O sistema de cultivo em tanques escavados em terra ou viveiros tem sido empregado há muito tempo. Porém, a piscicultura desenvolvida em tanques-rede é uma modalidade que vem apresentando forte crescimento nos últimos anos (MPA, 2015).A criação de peixes confinados em tanques-rede visa à produção com alta produtividade e no menor tempo possível, pois permite uma densidade volumétrica muito maior que as outras modalidades. Neste sistema, há economia de água, o manejo é mais fácil e os custos são menores. Outra vantagem é que os tanques-rede também podem ser colocados dentro de viveiros escavados de forma a otimizar o restante do espaço para a produção de outras espécies consorciadas, maximizando a produtividade total e os lucros.

O suporte financeiro para realização das pesquisas científicas será feito pelo Prof. Dr. Miguel Petrere Junior ligado a Universidade Federal de São Carlos, Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade, Campus Sorocaba, Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Uso de Recursos Renováveis, mediante a termo de compromisso anexo.

 

Ver detalhes do projeto

  Sergio Henrique Canello Schalch      Apta Regional / IP

Estudo comparativo dos efeitos da picoxistrobina, da trifloxistrobina e do ciproconazole em Danio rerio e Poecilia reticulata

n° SGP 1692

O uso de indicadores biológicos tem aumentado nos últimos anos, com o intuito de investigar a poluição ambiental, sendo que o ambiente aquático apresenta uma grande vulnerabilidade, tendo a agricultura papel de destaque como uma das principais atividades humanas que contribui para o aumento da poluição, devido à utilização de pesticidas. Essas substâncias, dentre os poluentes ambientais, têm recebido recente atenção pelo seu potencial em alterar populações e o dinamismo entre comunidades. O Aproach® Prima e o Sphere Max são fungicidas sistêmicos, sendo que o primeiro contém picoxistrobina (do grupo das estrobilurinas, inibidores do fluxo de elétrons da respiração mitocondrial) e ciproconazole (do grupo dos triazóis, inibidores da biossíntese do ergosterol),  e o segundo trifloxistrobina e ciproconazol, usado em pulverizações preventivas, para o controle de doenças da parte aérea da cultura do algodão, arroz, café, cana-de-açúcar, milho, soja e trigo. Quanto à sua classificação toxicológica, ambos pertencem à classe III, sendo medianamente tóxico e quanto à classificação do potencial de periculosidade ambiental, pertencem à classe II, muito perigoso ao meio ambiente, segundo dados da bula do produto.  Estes produtos foram escolhidos para realização dos ensaios ecotoxicológicos, em virtude da utilização na cultura no arroz inundado, que é a principal cultura da região do Vale do Paraíba e que apresenta grande interface com o ambiente aquático. O objetivo deste trabalho é determinar a concentração letal mediana (CL50) do fungicida APROACH® PRIMA  e do SPHERE MAX  para alevinos e adultos de Danio rerio e Poecilia reticulata, comparando com os dados obtidos para Lithobates catesbeianus, projeto SGP 1597 – “Avaliação dos efeitos do fungicida APROACH PRIMA em girinos de rã-touro (Lithobates catesbeianus) através da análise de biomarcadores”, que possui recursos FAPESP e não acarretará ônus para o Estado. O fungicida APROACH PRIMA à base de picoxistrobina e ciproconazole será adquirido com recursos FAPESP proveninetes do proejteo SGP 1597, processo 2016/20575-6 e não vai gerar nenhum tipo de ônus para o estado. O fungicida SPHERE MAX foi doado pelo pesquisador Marcelo Ticelli, colaborador do projeto. 

Ver detalhes do projeto

  Adriana Sacioto Marcantonio      Apta Regional / IP

O modelo WEAP para análise do ambiente construído em relação aos recursos hídricos das sub-bacias dos ribeirões do Curtume e Água Preta: Estudo de caso na cidade de Pindamonhangaba, no estado de São Paulo/Brasil.

n° SGP 1640

A qualidade da água de uma bacia hidrográfica é influenciada por diversos fatores e, dentre eles o clima, a cobertura vegetal, a topografia, a geologia, bem como o tipo, o uso e o manejo do solo da bacia hidrográfica. Os vários processos que controlam a demanda e oferta da água de determinado manancial fazem parte de um frágil equilíbrio, motivo pelo qual alterações de ordem física, química ou climática, na bacia hidrográfica, podem modificar suas características quali-quantitativas. O presente estudo tem por objetivo aplicar a ferramenta WEAP - Water Evaluation and Planning System, para análise do ambiente construído em relação aos recursos hídricos das sub-bacias do ribeirão do Curtume e Água Preta num estudo de caso no município de Pindamonhangaba, no estado de São Paulo – Brasil. Os resultados por meio de avaliação e planejamento usando a ferramenta WEAP serão relacionados ao panorama ambiental das sub-bacias considerando ainda as condições climáticas, índices de qualidade de água e indicadores de ocupação. Basicamente esta ferramenta inovadora permite através do balanço hídrico da bacia, calcular a quantidade de água disponível para atividades rurais e urbanas (ambientes construídos). Este modelo pode também contribuir para tomada de decisões durante a escassez hídrica sazonal e definir o melhor planejamento para distribuição, bem como a possibilidade de simular os impactos de novos empreendimentos, além da formação de um banco de dados técnicos gerando informações institucionais para uso regional e estadual. O apoio institucional financeiro será da IMED, bem como para a publicação dos resultados alcançados em periódicos e eventos nacionais e internacionais.

Ver detalhes do projeto

  KARLA CONCEIÇÃO PEREIRA      Apta Regional / IAC

Avaliação dos efeitos do fungicida APROACH PRIMA em girinos de rã-touro (Lithobates catesbeianus) através da análise de biomarcadores

n° SGP 1597

O uso de indicadores biológicos tem aumentado nos últimos anos, com o intuito de investigar a poluição ambiental, sendo que o ambiente aquático apresenta uma grande vulnerabilidade, tendo a agricultura papel de destaque como uma das principais atividades humanas que contribui para o aumento da poluição, devido à utilização de pesticidas. Essas substâncias, dentre os poluentes ambientais, têm recebido recente atenção pelo seu potencial em alterar populações e o dinamismo entre comunidades. Os biomarcadores podem ajudar a avaliar o estado de saúde das populações de anfíbios, atuando como parâmetros finais e subletais da intoxicação. Em virtude da necessidade de estabelecer biomarcadores com maior sensibilidade, precisão e informação rápida após da exposição e ação dos estressores ambientais e particularmente dos pesticidas usados no ambiente, será testada a análise do sistema pigmentar extracutâneo e especificamente nos órgãos hematopoiéticos como baço e fígado, onde residem os melanomacrófagos (MMCs). Os anfíbios anuros ocorrem em todos os continentes, apresentam ampla distribuição geográfica, sendo encontrados em todos os continentes, exceto na Antártica, sendo mais abundantes em países tropicais e a rã-touro é uma espécie já utilizada em ensaios de ecotoxicologia aquática. O Aproach® Prima é um fungicida sistêmico que contém picoxistrobina (do grupo das estrobilurinas, inibidores do fluxo de elétrons da respiração mitocondrial) e ciproconazole (do grupo dos triazóis, inibidores da biossíntese do ergosterol), usado em pulverizações preventivas, para o controle de doenças da parte aérea da cultura do algodão, arroz, café, cana-de-açúcar, milho, soja e trigo. Quanto à sua classificação toxicológica, pertence à classe III, sendo medianamente tóxico e quanto à classificação do potencial de periculosidade ambiental, pertence à classe II, muito perigoso ao meio ambiente, segundo dados da bula do produto. Este produto foi escolhido para realização dos ensaios ecotoxicológicos, em virtude de sua utilização na cultura no arroz inundado, que é a principal cultura da região do Vale do Paraíba e que apresenta grande interface com o ambiente aquático.

 

Ver detalhes do projeto

  Adriana Sacioto Marcantonio      Apta Regional / IP

Estudo morfológico e molecular de espécies do filo Oomycota isoladas de cultivo de truta arco-íris (Oncorhynchus mykiss Walbaum) em Campos do Jordão, estado de São Paulo, Brasil

n° SGP 1531

A truta arco-íris (Oncorhynchus mykiss Walbaum), originária da América do Norte e introduzida no Brasil na década de 40, é hoje um exemplo de sucesso na criação de peixes em regiões frias e montanhosas do país. No entanto, problemas com parasitas tem causado preocupação aos piscicultores, pois os patógenos afetam a qualidade do pescado e interferem no sistema de cultivo. Saprolegniose, doença causada por oomicetos do gênero Saprolegnia, é a mais conhecida das parasitoses e está presente principalmente nos ovos de O. mykiss. Representantes de outros gêneros do filo Oomycota também são normalmente registrados como patógenos, tais como AchlyaAphanomyces e Dictyuchus. Em vista disto, o presente projeto foi elaborado com o objetivo de avaliar a riqueza e a diversidade dos representantes do filo Oomycota em truticulturas localizadas em Campos do Jordão, em diferentes fases do cultivo do peixe. Para isto, serão coletadas amostras da água que abastecem os sistemas; dos tanques de criação, nas diferentes fases de desenvolvimento da truta; bem como da água de saída dos tanques. Em laboratório, as amostras serão tratadas pelo método de iscagem múltipla com substratos celulósicos e queratinosos, a fim de se obter o maior número de espécimes. Peixes e ovos sintomáticos serão também analisados por meio de coleta direta do micélio e posterior inoculação em meio de cultura. As espécies serão identificadas por meio de análises morfológicas e moleculares, documentadas, descritas e incorporadas ao acervo do Instituto de Botânica (CCIBt e/ou Herbário SP). As sequências obtidas serão disponibilizadas no banco de dados do GenBank. Este projeto é pioneiro no Brasil considerando o estudo da diversidade de oomicetos em sistema de cultivo de truta, bem como nas diferentes fases de desenvolvimento do peixe, possibilitando assim a detecção dos pontos de entrada dos eventuais patógenos no sistema.
 

Ver detalhes do projeto

  Yara Aiko Tabata      Apta Regional / IP

Influencia dos fatores meteorológicos sobre a duração do período larval, emergência e a porcentagem de fecundação de rainhas de abelhas rainhas africanizadas (Apis mellifera L.)

n° SGP 1516

A produção de rainhas e a sua disponibilidade com qualidade e padrão é pré-requisito básico de todas as nações detentoras de apicultura tecnologicamente evoluída bem como economicamente bem sucedida. No Brasil, a despeito da importância e tradição dessa atividade, esta especialidade ainda não está totalmente desenvolvida, haja vista as poucas iniciativas privadas ou publicas que oferecem rainhas em grande escala e de modo continuo aos apicultores. Os poucos apicultores que se propõe a criar rainhas o fazem baseado em encomendas previas e o apicultor por não ter uma oferta sistematizada deixa de colocar no seu calendário apícola a substituição anual e regular das rainhas. O método utilizado para a produção de industrial de rainhas ainda é basicamente o mesmo desenvolvido por Doolittle em 1889. A característica essencial deste método é a transferência de larvas femininas, da colônia onde foram produzidas (matriz) para outra colônia, povoada de abelhas (recria), a qual cuidará das jovens larvas até a sua completa metamorfose em rainhas. A influencia climática é considerado de menor importância quando questões como: população forte, quantidade suficiente de operarias que exerçam a atividade de nutrizes, idade das larvas enxertada e número de adequado de células-rainha enxertadas forem respeitados. A produção de rainhas, entretanto, não termina com sua emergência das células reais, a fecundação é a fase mais incerta do processo, o que a torna a parte mais onerosa da produção. As condições ambientais, como temperatura, vento e nebulosidade exercem influência no comportamento de acasalamento. Visando desenvolvimento de técnicas criatórias mais eficientes para produção de rainhas, com menor número de colmeias de apoio e consequente diminuição de mão de obra, há necessidade de ampliar o conhecimento sobre as reações das abelhas africanizadas aos métodos disponíveis de manejo produtivo durante o período entre a emergência e a fecundação das rainhas, definindo condições que viabilizem economicamente a atividade de produção de rainhas de abelhas africanizadas em clima tropical e subtropical.

Palavras chaves: criação de rainhas, fecundação de rainhas, aceitação de larvas

Ver detalhes do projeto

  Maria Luisa Teles Marques Florencio Alves      Apta Regional / IZ

ECOAGRICULTURAS - Cultivando Águas e Boas Práticas no Litoral Norte

n° SGP 1153

O Projeto “Ecoagriculturas – cultivando águas e boas práticas do litoral norte” tem a duração de 24 meses e está localizado na UGRHI 03 – Litoral Norte, nos municípios de Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião e Ilhabela, Corredor de Biodiversidade da Serra do Mar, visando “integrar as ações e experiências em agroecologia na UGRHI-LN 03, com objetivos específicos de desenvolver estratégias de boas práticas de manejo das atividades agropecuárias para aproveitamento racional e proteção dos recursos hídricos”.  Os principais 200 beneficiários diretos são agricultores, proprietários rurais, gestores e técnicos dos órgãos públicos e membros de colegiados e da sociedade civil atuantes na temática.

A proposta foi elaborada de forma democrática e participativa por representantes do GT Agroecologia do CBHLN, da Rede de Sementes do Litoral Norte e membros da sociedade civil, engajados em construir e fortalecer um trabalho regional e coletivo de boas práticas de agroecologia; redirecionando as práticas de agricultura tradicional para evitar o uso intensivo de agrotóxicos e manejo inadequado do solo e dos recursos hídricos. A melhor ecoeficiência das unidades produtivas rurais do litoral norte ajudará a restaurar a condição ambiental das propriedades e, dessa forma, a proteção dos recursos hídricos, além de promover a segurança alimentar e a geração de renda local. 

Como estratégia para alcançar os resultados esperados, foi desenhado um fluxograma sequencial de ações que propiciem a gestão e construção participativa do início ao fim, impactando também na capacitação contínua e permanente dos envolvidos durante o processo; bem como no fortalecimento coletivo e a mobilização dos envolvidos para o compartilhamento de boas práticas, as quais potencializam as metas do Plano de Bacia e áreas afins.

Os principais produtos e benefícios são: 01 análise situacional participativa de boas práticas existentes na região (vide descritivo no documento como “Boas Práticas Agrícolas/Agropecuárias - BPA”), como um marco zero para atuais e futuras ações de planejamento, o qual também norteará 01 Plano de Trabalho Participativo para o percurso do projeto e sugestões de conteúdos para 06 Encontros de Fortalecimento Regional e 04 Capacitações Temáticas com intercâmbios (vivências práticas) entre os proprietários e municípios. Além de melhorar a qualidade da capacidade técnica dos agricultores e demais beneficiários, o envolvimento direto dos beneficiados torna viável a elaboração de Planejamento Integral de 20 Propriedades/posse e a escolha e implantação prática de pelo menos 04 unidades de adaptação tecnológica de práticas visando a transição agroecológica para o aumento da ecoeficiência de unidades produtivas da zona rural. De acordo com as demandas levantadas no Planejamento Integral das propriedades serão escolhidas práticas para melhorar a gestão da unidade, além de estratégias para conservação e proteção da biodiversidade, do solo e da água. As unidades de adaptação tecnológica serão acompanhadas para evoluírem e se tornarem uma referência para a difusão de práticas que facilitem a transição agroecológica na região.

Para as estratégias de comunicação integrada e compartilhamento das boas práticas estão previstos 01 Fórum Regional, 01 Documento Final com diretrizes e encaminhamentos, bem como o uso de sites e redes sociais do proponente e parceiros para difusão.

Ver detalhes do projeto

  ISABEL FERNANDES PINTO VIEGAS      Apta Regional / IEA

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE NO POLICULTIVO DE CAMARÕES DE ÁGUA DOCE MacrobrachiumrosenbergiiE LAMBARIS Astianaxaltiparanae

n° SGP 1073

O projeto será desenvolvido em dois anos consecutivos no Setor de Aquicultura do Polo Regional do Vale do Paraíba – APTA Regional, Pindamonhangaba (SP), utilizando 16 viveiros com 16 m2 cada.O objetivo será avaliar o desempenho produtivo e a sustentabilidade econômica e ambiental de dois sistemas de produção de camarões de água doce Macrobrachium rosenbergii em policultivo com lambaris Astyanax altiparanae.No Sistema 1 (primeiro ano do projeto), os lambaris serão confinados em tanques rede (TR) e os camarões serão cultivados livremente nos viveiros, nos seguintestratamentos:  A - Monocultivo de lambaris em TR na densidade de 50m-3 de viveiro; B – Monocultivo de camarões no viveiro, na densidade de 10m-2 de viveiro; C - Policultivo de lambaris em TR a 50 m-3 e camarões livres a 10 m-2 e D – Policultivo de lambaris em TR a 25m-3 e camarões livres a 10 m-2. No Sistema 2 (segundo ano do projeto), os lambaris e os camarões serão cultivados livremente no viveiro, nos seguintes tratamentos: A - Monocultivo de lambaris na densidade de 50 m-3 de viveiro; B – Monocultivo de camarões na densidade de 10 m-2 de viveiro; C - Policultivo de lambaris a 50 m-3 e camarões a 10 m-2 e D – Policultivo de lambaris a 25 m-3 e camarões a 10 m-2. Cada experimento terá a duração de 150 dias eserá utilizada uma ANOVA para testar os indicadores propostos. Os parâmetros zootécnicos a serem avaliados serão: sobrevivência, peso e comprimento médios individuais, biomassa, taxa de crescimento específico (SGR) e taxa de eficiência alimentar aparente (FCE). A sustentabilidade ambiental será medida pelaquantidade e eficiência do uso dos recursos nitrogênio, fósforo, água e espaço, além da avaliação sanitária dos animais cultivados.A sustentabilidade econômica será avaliada pelos indicadores econômicoscomumente utilizados na literatura para essa finalidade.

Ver detalhes do projeto

  Sergio Henrique Canello Schalch      Apta Regional / IP

Efeitos de imunossupressores sobre a eficiência de transplantes de células germinativas

n° SGP 1072
A técnica de reprodutores substitutos permite a geração de gametas alógenos pelo transplante de células germinativas indiferenciadas de um doador para as gônadas de uma espécie hospedeira distinta. Esta ferramenta pode ser aplicada para conservação de espécies ameaçadas de extinção ou na produção de espécies comerciais que demandam muito tempo e esforço para produção. Proles já foram obtidas a partir de transplantes de células germinativas em reprodutores substitutos alogênicos e xenogênicos, no entanto, as baixas taxas de gametas derivados do animal doador tem limitado o estabelecimento deste método como uma tecnologia de produção eficiente com aplicação numa escala comercial. Acredita-se que um processo de rejeição, não só em adultos, mas também em embriões, que possuem sistema imunológico imaturo, seja responsável por essa baixa eficiência e que, portanto, estaria restringindo a colonização, proliferação e diferenciação das células germinativas transplantadas. A imunossupressão no organismo hospedeiro, muito utilizada em transplantes de órgãos ou tecidos em humanos, poderia ser uma forma de aumentar a eficiência na colonização das células transplantadas. A utilização de drogas imunossupressoras levaria à redução ou bloqueio de mecanismos de ativação ou proliferação de células do sistema imunológico, evitando dessa forma a rejeição imunológica no organismo hospedeiro. No entanto as drogas imunossupressoras geralmente utilizadas no controle da rejeição de transplantes de órgãos, no tratamento de doenças autoimunes ou no tratamento de câncer possuem diversos efeitos colaterais que podem causar danos teciduais se utilizadas em altas doses. Em peixes, estudos sobre os efeitos destas drogas é escasso e quando disponível está limitado a pouquíssimas espécies. Baseado nas considerações acima descritas, este trabalho visa avaliar o efeito da utilização de drogas imunossupressoras sobre a eficiência dos transplantes de células germinativas usando dois salmonídeos como modelo. Para tanto será verificado inicialmente (1) as alterações sobre mecanismos de resposta na imunidade e gametogênese. Em seguida (2) serão avaliados os efeitos da imunossupressão sobre a colonização, proliferação e diferenciação das células germinativas transplantadas.
OBS: Projeto submetido ao CNPq chamada Universal 01-2016 – FAIXA B – Até R$ 60.000,00
Ver detalhes do projeto

  Yara Aiko Tabata      Apta Regional / IP

Estabelecimento de programa reprodutivo utilizando inseminação artificial em tempo fixo seguido de ressincronização em fêmeas bovinas leiteiras

n° SGP 1023

A inseminação artificial (IA) é uma tecnologia relevante para aumentar a produtividade em rebanhos especializados na produção de leite. Os programas de sincronização da ovulação para inseminação artificial em tempo fixo (IATF) são ferramentas que permitem aumentar o número de fêmeas inseminadas, eliminando a necessidade de detecção de estro, aumentando a eficiência reprodutiva dos rebanhos. Atualmente, os protocolos de sincronização da ovulação estabelecidos, apresentam resultados satisfatórios e previsíveis quando aplicados em propriedades com adequado manejo nutricional e sanitário. Vários estudos foram realizados para estabelecer programas reprodutivos aplicados ao manejo das propriedades comerciais com os protocolos de IATF existentes. Tais programas visam facilitar e intensificar a aplicação dessas biotecnologias, bem como adequá-las aos objetivos específicos de cada fazenda. Atualmente, dentre as formas de intensificação do uso da IA/IATF, o estabelecimento de programas de ressincronização das fêmeas não gestantes após o primeiro serviço merecem destaque. Os programas de ressincronização eliminam a necessidade de observação de estro (facilitam o manejo e aumentam a taxa de serviço), reduzem o intervalo entre o parto e a concepção (aumentam a eficiência reprodutiva) e aumentam o número de produtos oriundos de IA (incremento do ganho genético), determinando maior lucratividade às propriedades produtoras de leite. Em resumo, o aprimoramento das técnicas de IATF associadas aos programas de ressincronização são ferramentas eficientes para o alcance máximo da eficiência reprodutiva dos rebanhos de forma organizada, pré-determinada e previsível, ou seja, com resultados zootécnicos satisfatórios e precisos. Portanto, uma vez estabelecido o objetivo da atividade rural, esses programas são incorporados ao sistema de produção e de gestão, aumentando a produtividade e a rentabilidade da propriedade.Os tratamentos hormonais utilizados na IATF faz parte da parceria com o Departamento de Reprodução Animal da FMVZ/USP.

Ver detalhes do projeto

  João Batista Pereira de Carvalho      Apta Regional / IZ

Avaliação da Eficiência de Óleos Essenciais, Extratos de Plantas e Microorganismos Probióticos Sobre Ecto e Endoparasitos de Bovinos Leiteiros.

n° SGP 973

Afecções parasitárias, causadas por carrapatos (Boophilus microplus) e helmintos (Ordem Strongylida) produzem uma variedade de síndromes clínicas e subclínicas desfavoráveis ao desenvolvimento dos rebanhos bovinos, especialmente de exploração leiteira, resultando em perdas e prejuízos econômicos para o produtor e comprometendo a qualidade dos produtos oferecidos ao consumo da população e conseqüentemente à saúde pública. O produtor utiliza práticas tradicionais de manejo devido à necessidade de sobrevivência da propriedade  e à pressão do mercado e à carência de métodos alternativos de controle. O controle ecto e endoparasitos é um dos maiores problemas em um sistema de produção de leite sustentável, acarretando aumento nos custos de produção, em função do uso cada vez maior de antiparasitários, devido principalmente a falta de eficácia dos produtos disponíveis no mercado ocasionada pela resistência dos parasitos aos princípios ativos atuais. Em face desta nova filosofia, há a necessidade de estudos que possam dar subsídios a utilização dessa modalidade de controle alternativo, visando não só a viabilidade econômica, mas também que possam dar validação cientifica ao modo de ação, dosagem, segurança na manipulação de tais substâncias no controle dos parasitos pelos produtores.  O presente trabalho visa obter alternativas para controle de ecto e endoparasitos de bovinos leiteiros na região do Vale do Paraíba, Estado de São Paulo por meio da realização de  teste para determinação da eficiência   e cálculos de concentração eficaz de fitoterápicos (in vitro ), sobre condições de campo (in vivo)  e a utililização de probióticos, complemento alimentar natural, composto de microorganismos vivos, que possuem diversos efeitos benéficos a saúde do hospedeiro, principalmente pelo estimulo à imunidade que promovem o aumento de anticorpos ou atividade dos macrófagos.

 

Ver detalhes do projeto

  JOSE ROBERTO PEREIRA      Apta Regional / IAC

Rede Agroecológica Caiçara: Grupos de Consumo e as Políticas Públicas

n° SGP 965

Este projeto visa avaliar um coletivo de produção e consumo responsáveis de Ubatuba: a Rede Agroecológica Caiçara. A iniciativa surgiu de um arranjo interinstitucional e multidisciplinar que envolve pesquisa, assistência técnica, extensão rural e políticas públicas em interação direta com a produção e o consumo. A Rede Agroecológica Caiçara foi idealizada e criada em junho de 2013 por integrantes desse grupo e consiste em um coletivo de produção e consumo que visa simplificar e otimizar a produção e comercialização dos produtos da agricultura familiar de Ubatuba, SP por meio da aproximação entre produtores, consumidores e técnicos. Os objetivos do projeto são: 1- avaliar o capital social criado no contexto da iniciativa da Rede Agroecológica Caiçara, por meio da avaliação das redes de relações estabelecidas; 2 - avaliar a convergência da iniciativa da Rede Agroecológica Caiçara com a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural; 3 - avaliar a convergência da iniciativa da Rede Agroecológica Caiçara com o Plano Nacional de Economia Solidária, 4 - avaliar a convergência da iniciativa da Rede Agroecológica Caiçara com o Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica; de modo a ampliar a visão interna da iniciativa, assim como, verificar sua adequação às políticas públicas que definem a sua interação com o ambiente externo. Para atender o primeiro objetivo, propõe-se a metodologia de Net-Maps que visa avaliar o capital social por meio da percepção individual da rede de relações estabelecida. Para o segundo e terceiro objetivos, a metodologia proposta é de revisão bibliográfica para comparação da iniciativa com as políticas e planos em questão. É uma proposta de baixo custo que visa o bom aproveitamento dos recursos públicos que já estão investidos na instituição e que não são passíveis de financiamento – como salários dos pesquisadores, computadores, energia elétrica, além do capital social - criado nas fases anteriores do projeto, que viabiliza a colaboração na atual fase do projeto, assim como, a operacionalização do projeto.

Ver detalhes do projeto

  ISABEL FERNANDES PINTO VIEGAS      Apta Regional / IEA

Agroecologia, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional

n° SGP 948

O direito a alimentação adequada e saudável, o resgate e incentivo ao consumo de plantas não convencionais, reconhecer o alimento como patrimônio cultural constituem-se em aspectos chave que fortalecem a defesa dos biomas e territórios, com suas especificidades culturais e com suas lutas pelo direito à alimentação adequada e saudável. Este projeto tem a finalidade do resgate, produção, consumo e promoção do auto-consumo de plantas não convencionais em áreas rurais e peri-urbanas;  avaliar como as ações de Segurança Alimentar são estruturadoras dos sistemas agroecológicos e dos processos sociais a eles interligados;  estudo de métodos de propagação e  germinação  de espécies de plantas não convencionais e produção de cartilha técnica sobre manejo agroecológico de plantas não convencionais. A metodologia participativa norteadora do projeto visa à construção e validação de estratégias agroecológicas assegurando a soberania, segurança alimentar e nutricional a partir da utilização da biodiversidade local. 

 

O presente projeto encontrava-se em execução no Polo Vale do Paraíba, desde 2011, registrado no SIGA sob NRP 4194, Hortaliças Não Convencionais: Aspectos fitotécnicos de cultivo, fenologia reprodutiva e qualidade nutricional, findando em dezembro/2015. Foi, durante todo o seu desenvolvimento, custeado por outro projeto que havia financiamento da FAPESP (NRP 4446 - Estratégias de adubação verde em plantio direto para produção orgânica de brocolis e milho verde no Vale do Paraiba. Em outubro de 2015,  o projeto sofreu algumas modificações, sendo submetido a FAPESP, que em dezembro/2015, retornou denegando o mesmo, porém com possiblidades de recorrer, o que foi realizado. Estou aguardando novo parecer da FAPESP, porém o projeto já implantado no campo, onde está sendo realizado a fase 2, com o viveiro antigo, fazendo a mutenção e ampliação da unidade de PANC, e estudos de método de propagação, tempo de germinação e manejo agroecológico das espécies constantes no projeto. Também estamos elaborando processo para venda de residuo de pesquisa oriunda da área deste projeto, de estacas de gliricídea, oriundos do manejo agroecológico a ser realizado, para recolher recursos, e utilizá-lo no projeto.

 

Ver detalhes do projeto

  CRISTINA MARIA DE CASTRO      Apta Regional / IAC

Controle Seletivo do Carrapato dos Bovinos (Riphicephalus (B). microplus) em Pequenas Propriedades do Vale do Paraíba

n° SGP 904

                A proposta deste projeto  é promover atividades educativas em pequenas propriedades, de exploração familiar, tendo como objetivo a motivação, conscientização e capacitação do produtor rural à correta  adoção de medidas para controle racional do carrapato dos bovinos minimizando o uso de carrapaticidas e prolongando a eficácia dos ativos empregados, e dessa forma possibilitando maior retorno da atividade leiteira com diminuição de insumos, mão de obra e aumento da produção e produtividade. Portanto visa-se a aplicação de conhecimentos teóricos e práticos diretamente na propriedade, junto aos produtores.

Ver detalhes do projeto

  JOSE ROBERTO PEREIRA      Apta Regional / IB

VITRINE AGROECOLÓGICA - BASES TECNOLÓGICAS DAS PESQUISAS EM AGROECOLOGIA

n° SGP 814

As pesquisas em Agroecologia se intensificam para solucionar as externalidades do modelo de agricultura convencional, dentre os quais, se destacam a contaminação dos alimentos, agricultores e meio ambiente por agrotóxicos, a baixa resiliência dos sistemas convencionais às alterações climáticas, a dependência econômica dos agricultores por pacotes tecnológicos e o esvaziamento do campo mediante a exclusão camponesa. A busca de metodologias que possibilitem gerar tecnologias de maneira participativa e incorporar as experiências dos agricultores familiares junto ao saber acadêmico de pesquisadores e técnicos, para atuarem juntos na construção do conhecimento agroecológico, é uma demanda atual. O objetivo desse projeto é estruturar experimentos em vitrines agroecológicas integrando os conhecimentos científicos ao saber local. Serão instaladas no Polo APTA Vale do Paraíba/SAA-SP unidades experimentais onde serão avaliados os sistemas de produção em policultivos, alley cropping, sistemas agroflorestais (SAF), manejo de culturas de cobertura, o resgate de variedades crioulas comparadas às tradicionais, implantação e manejo de banco de matrizes de gliricidea em SAF, produção e uso de compostos orgânicos, caldas alternativas e biofertilizantes. Os conhecimentos técnico-científicos gerados serão compartilhados por meio de métodos participativos tais como mutirões, oficinas e vivências promovendo dessa maneira a troca de saberes entre diversos atores, também, possibilitando identificar novas demandas para as pesquisas agroecológicas. A captação de recursos se dará por meio da venda dos resíduos das pesquisas, tal como de frutos de banana e estacas de gliricídia, repasse de recursos materiais provenientes de parceiros ligados aos diferentes setores como contrapartida ao treinamento técnico; mão de obra desses atores na implantação e manejo em atividades coletivas participativas como em mutirões agroflorestais. O projeto é desenvolvido desde o ano de 2011 com essas bases, resultou na formação da Rede Agroflorestal do Vale do Paraíba e no treinamento de mais de um milhar de pessoas. A meta agora é fortalecer o processo de geração tecnológica participativa mediante novas parcerias no setor agrário para reverter os quadros de degradação ambiental com retorno econômico e segurança alimentar.

Ver detalhes do projeto

  Antonio Carlos Pries Devide      Apta Regional / IAC

Caracterização genética, controle de sexo e transplantes de células germinativas em estoques cultivados de salmonídeos da Estação Experimental de Salmonicultura de Campos do Jordão

n° SGP 796

A salmonicultura no Brasil é realizada em áreas montanhosas da região Sul e Sudeste e a produção é composta basicamente pela truta arco-íris Oncorhynchus mykiss. A produção nacional é relativamente pequena quando comparada com grandes nações produtoras como o Chile e Noruega e atende principalmente à demanda de restaurantes e hotéis locais. A Estação Experimental de Salmonicultura de Campos do Jordão possui diversas linhagens de truta arco-íris cada qual com caracteres espécificos para cada sistema de produção e/ou finalidade, que associadas a técnicas de triploidia, hibridização e controle de sexo permitiram a produção e fornecimento de ovos embrionados/alevinos com caracteres que refletem em maior produtividade para os truticultores locais.
No entanto, tendo em vista o crescente aumento da demanda de ovos embrionados e alevinos, impulsionado pelo desenvolvimento de novos produtos como a “truta salmonada” e o “caviar de truta”, torna-se necessário desenvolver ou trazer novas linhagens, otimizar a produção dos estoques atuais e também monitorar geneticamente os mesmos para a manutenção do pool gênico. Nesse contexto, o presente projeto visa (1) desenvolver marcadores genéticos para distinguir cada linhagem de truta, além de caracterizar as respectivas relações filogenéticas entre as linhagens assim como monitorar o nível de consaguinidade das mesmas, (2) otimizar o protocolo de produção de animais XX machos utilizando o gene determinante de sexo sdY em salmonídeos para triagem de animais sexo-revertidos hormonalmente e (3) aplicar a técnica da barriga de aluguel (surrogate broodstock) para produção de gametas alógenos como os de salmão em trutas triplóides.
 

Ver detalhes do projeto

  Yara Aiko Tabata      Apta Regional / IP

Estudo da espécie Lithobates catesbeianus como organismo alternativo para testes teratogênicos

n° SGP 679

 O FETAX (Frog embryo teratogenesis assay – Xenopus) normatizado pela ASTM E 1439–98 (2012) é um bioensaio usado para determinar o potencial teratogênico de produtos químicos em embriões de Xenopus laevis. Embora tenha sido projetada para esta espécie, a norma permite o uso de espécies alternativas. O objetivo deste trabalho é adaptar o protocolo FETAX para Lithobates catesbeianus (espécie amplamente distribuída pelo Brasil). Com a padronização de protocolo específico para a espécie escolhida, o teste poderá ser implantado em outros laboratórios e instituições de pesquisa. Este ensaio pode ser uma excelente ferramenta na avaliação de produtos para fins regulatórios e no monitoramento de ambientes impactados. A primeira etapa visa aprimorar a técnica de indução à ovulação. 32 fêmeas, selecionadas previamente, serão divididas em quatro grupos para os seguintes tratamentos: apenas LHRHa, pimozida, risperidona e metoclopramida associados ao LHRHa. Posteriormente, o desenvolvimento dos ovos será avaliado, determinando o tempo de exposição e as faixas de sensibilidade à 6-aminonicotinamida (controle positivo indicada no protocolo), à ciclofosfamida e ao cloreto de sódio, seguindo recomendações da norma, adaptadas para a espécie. 

Ver detalhes do projeto

  Adriana Sacioto Marcantonio      Apta Regional / IP
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930